Category Archives: Sem categoria

  • 0

Sessão CAPSi Carim – Cinema Inclusivo

Category : Sem categoria

No dia 26 de janeiro, a nossa sala de cinema se encheu de alegria ao receber um grupo de crianças do CAPSi CARIM (Centro de Atenção PsicoSocial Infanto juvenil), da UFRJ.

A sessão de cinema faz parte do projeto Cinema Inclusivo que recebe crianças e adultos com algum tipo de deficiência ou transtorno mental, bem como oferece sessões para crianças em situação de vulnerabilidade social.

Foram exibidos os curtas Cores e Botas (dirigido por Juliana Vicente, 2010) e O Balãozinho Azul (de Faustón da Silva, 2013) para o público de 35 pessoas dentre crianças, familiares e psicólogos do CAPSI. Houve muita diversão, pipoca, doces e brindes para aqueles que respondiam as perguntas sobre os filmes corretamente.

Tal projeto faz parte da linha de atuação do Cinema Nosso que trabalha focada em acessibilidade cultural para crianças e jovens, permitindo que todos tenham acesso à magia do cinema.


  • 0
IMG_6647

O Cineclube Anima Aqui apresenta Joana, dirigido por Juliana Vicente

Após de uma pausa na semana passada por causa do recesso de feriado, o Cineclube Anima Aqui voltou com tudo nessa sexta-feira (10). E de volta com a turma que inaugurou o cineclube desse ano, o 5° ano da escola Municipal Tiradentes, daqui do Centro. Dessa vez, a turma assistiu ao curta “Cores e Botas” com direção de Juliana Vicente. O filme conta a história de Joana, uma menina que vive nos 80 e que tem um sonho: ser paquita do programa da Xuxa. Porém, Joana é negra, e nunca se viu uma paquita negra na televisão.

Como já é de costume nas sessões do cineclube, os alunos debateram o filme, contaram sobre casos que lembraram a história do filme e comeram muita pipoca.

A sessão do Cineclube Anima Aqui, através da exibição de curtas, tem como objetivo promover o debate de diversos temas sociais entre os jovens estudantes de escolas públicas do Centro do Rio de Janeiro.

 

 


  • 0
IMG_6517

Uma véspera de feriado muito especial para os alunos da Escola Municipal Tiradentes

Nessa quarta-feira (01), véspera de feriado, e começando o mês com o pé direito, o Cinema Nosso recebeu mais uma edição do Cineclube Anima Aqui com as crianças da Escola Municipal Tiradentes. Dessa vez, a sessão foi mais que especial; os espectadores da vez foram os alunos do 1° do Ensino Fundamental, que têm entre 7 e 8 anos de idade. Por causa da idade, nada melhor do que a exibição de filmes que façam despertar a imaginação e que as ajudem a questionar o mundo.

Nessa sessão, os filmes exibidos foram: “Lápis de cor” de Larissa “Fulana de Tal” e “Nana e Nilo – Tempo de Brincar” de Sandro Lopes; sendo este último, uma animação super divertida e imaginativa protagonizada por personagens negros.

E não menos importante, essa sessão teve um diferencial: ao invés de assistirem os filmes sentados na cadeira, as crianças deitaram em colchonetes espalhados pela sala de cinema, dando a elas mais diversão. Tudo isso acompanhado de muita pipoca.

A sessão do Cineclube Anima Aqui, através da exibição de curtas, tem como objetivo promover o debate de diversos temas sociais entre os jovens estudantes de escolas públicas do Centro do Rio de Janeiro.


  • 0
IMG_6471

O Cinema Nosso recebeu mais uma vez as crianças da Escola Tiradentes para exibição de filmes

Hoje, sexta-feira(27), foi mais um dia especial aqui no Cinema Nosso. Recebemos hoje, mais uma vez, as crianças da Escola Municipal Tiradentes para uma sessão do Cineclube Anima Aqui. Os alunos do 2° ano assistiram aos curtas “Lápis de cor” de Larissa “Fulana de tal” e  “Nana e Nilo – Tempo de Brincar de Sandro Lopes; sendo este último, uma animação protagonizada por personagens negros. Tudo à base de muita pipoca e diversão.

Com o fim da exibição dos filmes, as crianças, muito extrovertidas, conversaram sobre os curtas e entraram num excelente e explicativo bate-papo sobre bullying, racismo e preconceito.

A sessão do Cineclube Anima Aqui, através da exibição de curtas, tem como objetivo promover o debate de diversos temas sociais entre os jovens estudantes de escolas públicas do Centro do Rio de Janeiro.

 


  • 0
CinemaInclusivo

O Cinema Inclusivo recebe mais uma vez o Clube da Esquina

No último sábado (21), o Cinema Nosso recebeu mais uma vez o grupo Clube da Esquina, que são adultos com transtornos mentais atendidos pelo IPUB (Instituto de Psiquiatria) da UFRJ, para mais um Cinema Inclusivo. A sessão desse mês contou com a exibição do novo longa dirigido por Selton Mello: “O filme da minha vida”.

A atividade do Cinema Inclusivo é realizada todo o mês com sessões regadas à pipoca, animação e bate papo ao final do filme.

O Cinema Inclusivo é um projeto que viabiliza o acesso à sala de cinema, de maneira gratuita, para pessoas com deficiência, incapacidade temporária ou permanente, ou que tenham mobilidade reduzida, onde as sessões contam com áudio-descrição, legendas em português e uma seleção especial de filmes. As sessões são gratuitas e realizadas mensalmente com grupos fechados.


  • 0
IMG_6369

Sessão do cineclube Anima Aqui exibe “O balãozinho Azul” e “Meu universo não é um sonho”

IMG_6334Hoje, sexta-feira(20), o Cinema Nosso promoveu mais uma vez o Cineclube Anima Aqui para as crianças da Escola Municipal Tiradentes. Dessas vez, os convidados foram os alunos do 3° ano do ensino fundamental. Foram exibidos os filmes “O balãozinho azul”, de Fáuston da Silva, que conta a história mágica de uma menina que faz amizade com um balão; e “Meu universo não é um sonho”, um documentário realizado pelos alunos do Curso Vídeo do 2º Semestre da Praça do Conhecimento, de Nova Brasília. Ao fim da exibição, as crianças tiraram dúvidas e fizeram perguntas sobre a criação dos filmes.IMG_6498

A sessão do Cineclube Anima Aqui, através da exibição de curtas, tem como objetivo promover o debate de diversos temas sociais entre os jovens estudantes de escolas públicas do Centro do Rio de Janeiro.


  • 0
IMG_6295

Festival do Rio exibe o filme “Trem Fantasma”

Na manhã de ontem, terça-feira,IMG_6316foi exibido no circuito do Festival do Rio o curta “Trem Fantasma”, produzido por alunos do projeto Anima Aqui de 2016. Eles puderam assistir o filme em uma telona, dar entrevista e interagir respondendo às perguntas da plateia. Foi o dia de estrelas e de cineastas para os alunos. Também estavam presentes na sessão outros alunos da turma de 2016.IMG_6295IMG_6316


  • 0

O Cinema nosso promove o Cineclube Anima Aqui com estudantes da Escola Municipal Tiradentes

Nessa sexta-feira, 22 de setembro, o Cinema Nosso recebeu os alunos da Escola Municipal Tiradentes na sessão do Cineclube Anima Aqui. Os estudantes, acompanhados da professora Ellen Ferreira, puderam assistir à dois curtas: O Tia Ciata, de Mariana Campos e Raquel Beatriz, que conta a história da baiana Hilária Batista, conhecida como Tia Ciata, uma importante líder comunitária, religiosa e um grande nome do samba no Rio de Janeiro; e, como abertura, o curta Caos, produzido por estudantes da turma do Anima Aqui de 2016 do Cinema Nosso.

A sessão do Cineclube Anima Aqui, através da exibição de curtas, tem como objetivo promover o debate de diversos temas sociais entre os jovens estudantes de escolas públicas do Centro do Rio de Janeiro.


  • 0

Workshop LABs Produtora Escola 2017, “Conversas de roteiro : Meu roteiro está pronto para filmar?”

Category : Sem categoria

Aconteceu no sábado, 24 de Junho, no Cinema Nosso, o workshop LABs Produtora Escola 2017, “Conversas de roteiro : Meu roteiro está pronto para filmar?”, ministrado por Lucas Paraizo, roteirista de cinema e TV. Formado em jornalismo pela PUC-Rio e em roteiro pela EICTV (Escuela Internacional de Cine y Televisión, San Antonio de los Baños, Cuba). Pós-graduado em roteiro pela ESCAC (Escola Superior de Cinema i Audiovisuals da Catalunya) e Mestre em Artes Cênicas pela Universidade Autônoma de Barcelona. Na Rede Globo, Lucas escreveu as séries “A Teia”, “O Caçador”, “O Rebu” e “Justiça”. É autor do livro “Palavra de Roteirista”. O longa “Gabriel e a Montanha”, com roteiro de Paraizo, recebeu os prêmios de Revelação e da Fundação Gan na Semana da Crítica, na edição de 2017 do Festival de Cannes.
No encontro, Lucas Paraizo compartilhou com o público, dicas sobre criação de roteiro, a necessidade de se sentir presente no projeto, seja como roteirista, ou colaborador. O diferencial de um bom roteirista, é o olhar, ninguém quer um roteirista que não tem visão de mundo, pois o que faz a sua história ser diferente é a sua premissa particular. Respeito, admiração e confiança são elementos essenciais no projeto e equipe.
Mariana de Melo, da equipe do curta ‘Primavera Trans”, conta como foi participar do encontro:
“Eu gostei muito, foi a melhor palestra de roteiro que já participei, muito rica em conteúdo, ele passou muitas dicas sobre produção de roteiro, tanto técnica, quanto na conduta profissional. O exercício de comparação de roteiro, com o trabalho executado foi uma grande oportunidade.”
João Ademir, Diretor e Roteirista, do curta “Pobre Yurinho”, também deu seu depoimento:
“Ótima palestra. O Lucas Paraizo é um referência da nova geração de roteiristas. Foi uma excelente oportunidade de troca de experiências, conteúdo, dicas de postura profissional, parcerias e entendimento do audiovisual de forma colaborativa.”
No sábado, 8 de Julho, acontece mais uma edição do Labs PE, que ainda tem alguns workshops a serem realizados e, daqui a pouco as equipes iniciam suas gravações. O Laboratório Produtora Escola 2017 é um processo de formação e realização audiovisual que o Cinema Nosso desenvolverá durante todo ano de 2017.
Por Izabella Azevedo
Colaboradora Jornalismo Cinema Nosso

  • 0

5º workshop LABs Produtora Escola 2017

Category : Sem categoria

Aconteceu no sábado, 12 de Maio, no Cinema Nosso, o 5º workshop LABs Produtora Escola 2017, “Captação de recursos e produção de baixo orçamento” ministrado por Cavi Borges,  produtor, diretor, e  fundador da Cavídeo, locadora especializada em filmes raros e de arte, referência entre os cinéfilos do Rio, que mais tarde também se tornou produtora e distribuidora de filmes.

Cavi orientou os participantes a interpretarem o edital, entender o que é pedido, e deixou claro, a importância da participação em palestras, debates, encontros, festivais,  laboratórios, como este, do Cinema Nosso, para adquirir conhecimento, trocar experiências,  pois a partir disso, você passar a ter outra visão, passa a entender melhor o seu filme, e é muito necessária essa formação.